30 junho 2008

Vultos da Ilha

Sinta10 começa hoje uma nova rubrica que pretende (apenas) lembrar os grandes homens que se brotaram da ilha. Este primeiro post é dedicado ao poeta Januário Leite (este nome foi muito evocado nas últimas semanas por causa do caso que se estoirou no liceu que tem seu nome). Mas aqui a nossa música é outra. E a escola também... já agora!

Escola à antiga (soneto de Januário Leite)

Os óculos no nariz, bem cimentado
por densa massa de rapé imundo,
o rosto ora boçal, ora jocundo,
de tímidas crianças rodeado,

antigo professor está sentado
no meio dum silêncio o mais profundo,
solene aspecto - de aterrar o mundo,
pesada palmatória sempre ao lado.

A lição é de história. Já casmurro,
o mestre puxa a caixa de rapé.
O aluno lê: Dom Pedro quinto...um murro!

A tosca mesa abala!...o aluno em pé
encara o mestre...Que disseste, burro?
D...Pedro... V!...- D. Pedro V é que é!...

Januário Leite nasceu na Vila da Pombas, Paul, a 10 de Junho de 1867. O destino quis que morresse exactamente no dia do seu aniversários, isto é, a 10 de Junho de 1930. Autoditacta, esse grande poeta foi também, por algum tempo, professor primário e faroleiro em São Vicente.

1 comentário:

Djédjin disse...

boa bava, já bô lembrá grande poeta da ilha e de Cabo Verde - um figura mut xkzid com poemas extraordinárias!!!
Força nesse bô xgrôvet!

moço um kabá de kria um bloguin grinhésin méme - rabiskakoza, xpiél uvi. kel braça fraterne!