14 setembro 2009

Nha ilha que txuva (II)

Mal despontaram as pontes vieram as cheias para as inaugurar. A "cerimónia", pelos vistos, rompeu o protocolo e foi suave: sem descerramento de placa e consequente rebuliço dos aplausos; sem discursos de ocasião; sem placas a indicar o "inaugurador"... mas também, e isso é que vale, sem lamentações.








Obs: não sei quem fez as fotos. recebi-as by mail

3 comentários:

Paulo disse...

Benvindo,
Encontrei um interessante artigo de Suzanne Daveau sobre a erosão fluvial em Santo Antão. Fala da tua ribeira da Torre e das grandes cheias de 17 de setembro de 1984
http://www.ceg.ul.pt/finisterra/numeros/1988-46/46_07.pdf
Abraço
Paulo

Benvindo Neves disse...

Olá Paulo, ja li o artigo. De facto é bastante interessante. Depois posso até preparar um post tendo como base esse texto.

Obrigado pela partilha. Conto sempre contigo
um abraço.

Faial Fonseca disse...

Um blog fixe. Ainda semana passód m' tava lá e Sábado xovê tcheu. M ka oiá Rebera mas nakês 3 dias seguintes tive txuva avontade. M' ta li atento na notícias. Abraços. FF